Investimento inicial: quanto poupar para dar um start em sua empresa em São Paulo

Saiba o quanto você vai precisar economizar para por em prática o seu próprio negócio em São Paulo

Muitos estresses no momento de abertura da empresa em São Paulo podem ser evitados se o investimento inicial for calculado de forma correta, para isso é fundamental ter um bom planejamento financeiro, para tirar as ideias do papel e colocá-las em prática dentro dos padrões financeiros da empresa em seu movimento inicial. Esse planejamento focará em estudo de mercado, área, segmentação e necessidades vigentes da empresa e podem ser em muitos aspectos auxiliados por um bom setor contábil, que auxiliará na regularização do seu CNPJ, das estratégias de investimento inicial, além de capital de giro, foco gerencial etc.

Vamos, então, aos pontos necessários para que você poupe o suficiente para iniciar uma empresa de forma confortável, além de saber aonde vai investir este capital inicial.

  • Break Even

Primeiramente, o empresário precisa ter noção de que é o break even, antes mesmo do exemplo prático.
Inicialmente é claro que toda a abertura de negócio gerará custos elevados e que o lucro não surgirá do dia pra noite, mas o empreendedor pode ter uma perspectiva de quando sairá do zero ou até do negativo e começará o seu processo de ganho, e é para isso que serve o break even, uma análise muito próxima do real para saber quando a empresa começará a lucrar.

Vamos para um exemplo prático: a empresa X, em seu primeiro mês de trabalho, possui um determinado valor de custos fixos, aqueles que certamente sempre a empresa terá, como aluguel, custo com fornecedores etc. Mas além desses custos fixos, a empresa também possui custos que varia de acordo com o mês ou com um período específico, como manutenção de equipamentos, compra de um material específico necessário etc. A soma do custo fixo e do custo variável dará o custo total da empresa naquele mês.

Mas nem só de prejuízo vive a empresa, que fornecerá determinado produto ou serviço e para isso terá que estipular um preço – que é baseado nos custos e no lucro, mas vamos analisar tudo isso de forma mais geral e ampla. A multiplicação do preço no qual foi vendido e do número de vendas dará o valor total da receita daquela empresa, logo, o que entrou.

Se com os cálculos acima sabemos o que entrou e o que saiu da empresa em um determinado mês, resta saber o valor final desse lucro, que cabe subtrair o custo total da receita total.

Quanto mais realistas foram os números fornecidos pela empresa e levantados pelo setor contábil, mais próximo da realidade vai ficar o break even e melhor o empresário saberá o momento em que a sua empresa em São Paulo começará a lucrar.

  • Financeiro

É disso que viemos falar, pois todo investimento inicial é financeiro, correto? Não. Muitas questões burocráticas podem embargar o seu empreendimento em São Paulo, mas todos esses processo passam imprescindivelmente pelo financeiro. As empresas contábeis possuem totais domínios quanto essas questões burocráticas e fazem totalmente o planejamento financeiro neste processo.

1. Infraestrutura

Tudo bem que você já tem todo o entendimento quanto a seu espaço físico, aonde ficará, custos etc. Mas você precisará preencher esse espaço com mecanismos que façam que a sua empresa flua o trabalho. Maquinários, composições administrativas etc.  Se a sua empresa for home office, a estrutura do seu eminente de trabalho bem como a produção e entrega do seu produto/serviço, como um serviço de banda larga, impressora, correios, transportadora etc.

2. Formalização da empresa

A tal da parte chata que um bom setor contábil faz com que meio caminho seja andado. Uma boa empresa de contabilidade vai diminuir muitos os seus cabelos brancos. Seu investimento inicial deve contar com o pagamento de vários desses embargos e impostos, mas a contabilidade lhe enquadrará num perfil de empresa onde enquadre a sua perspectiva de ganho bem como a sua realidade financeira para que pague o mínimo possível de impostos.

Vários são os moldes a qual o seu CNPJ pode ser atribuído (MEI, ME, LTDA…), mas todos eles, independentemente da praticidade de abertura e do valor arrecado e tributado possuem etapas de abertura e o capital social para que o empreendimento venha a ser inicializado. Além de processo de contrato social (com a obrigatória formalização de um advogado, a inscrição junto a Junta Comercial da sua região e caso a empresa tenha sede fixa precisará de um laudo sanitária e de segurança. Todos essas regularização custam em torno de 1000 reais.

3. Mãos à obra

Aós a regularização do seu negócio, é importante que você passe a por as mãos à obra, afinal, foi pra isso que você passou por todas as partes chatas. Para isso, é importante ter o capital de giro, um resguardo financeiro de pelo menos 5% do investimento financeiro para eventualidades.

Nesse momento, uma análise de mercado se faz importante, também, o que pode ser feito pelo setor contábil que estipulará, vendo a concorrência e também os fornecedores e parceiros para se ter ideia da margem de lucro. A prática do benchmarking é justamente é a análise de tudo o que cerca o empreendimento para fazer tais prognósticos.

Ratificamos que ter um bom escritório de contabilidade por trás desse processo é fundamental e evita estresses desnecessários, mas isso não extingue que o empreendedor esteja sempre a par do fluxo de caixa. Setor contábil e empresário precisam caminhar juntos até para elaborarem estratégias jutas para superar adversidades financeiras e criarem projetos de expansão para que o negócio flua e a empresa lucre cada vez mais. No começo da empresa em São Paulo, ter essas noções, pela entrada ser menor que saída, é difícil, por isso o benchmarking e o break ever são importantes para e ter noção de prazo para lucro e deadlines.

4. Plano de Marketing

Você abriu a empresa, formalizou e iniciou o trabalho, mas o seu público-alvo, já definido pelo plano de marca e encontrado através da análise de marcado, precisa ter conhecimento que eles está no mercado. E agora? Plano de marketing, bem feito e que com a ascensão do virtual passou a não ser tão caro e muito mais eficaz por meio dos sítios virtuais. O marketing é um andar estrutural da empresa em São Paulo.