É possível abrir um negócio enquanto mantém um emprego?

Nos últimos anos, empreender tem sido a palavra da moda. Tem até se discutido a possibilidade de que as escolas passem a ter o empreendedorismo como uma das matérias na grade curricular.

Muitos tem tido a vontade de empreender, porém algumas pessoas ainda não estão preparadas para abandonar a carreira e abrir seu próprio negócio. Porém possuem o receio de empreender e ter um emprego fixo ao mesmo tempo, pois acreditam que é impossível conseguir fazer as duas funções com qualidade. Mas segundo alguns empreendedores, que passam por isso, existem formas se evitar o stress e obter sucesso nessa situação.

Abaixo, vamos passar algumas dicas que vão facilitar a vida do empreendedor que quer conciliar sua vida profissional.

– Não se sobrecarregue

Se o seu negócio conta com funcionários, aprenda a delegar as funções, pois isso vai te poupar tempo. Além disso, na sua ausência, esta pessoa conseguirá resolver as pendências sem muitos problemas.
Essa dica serve também para quem possui um sócio, pois o ideal é dividir as funções de maneira que ninguém saia prejudicado.

– Organize-se

Mantenha uma rotina organizada. Defina horários e funções e procure segui-las corretamente. Dessa maneira, você conseguirá manter seu planejamento sem muito desgaste.

– Concentre-se

Não misture os trabalhos. Enquanto estiver no seu trabalho, pense apenas nele e o mesmo serve para quando estiver no seu negócio. Manter o foco é importante para a produtividade.

– Monitore seu negócio

Mesmo quando você estiver em casa, acompanhe seu negócio e assim conseguirá diminuir a culpa por não estar 100% dedicado a ele.

– Tenha um bom planejamento financeiro

Por fim, o planejamento financeiro é essencial para garantir sucesso no seu negócio. Ter uma reserva que servirá como capital de giro é muito importante para momentos de crise. Além disso, vai te ajudar a ficar mais tranquilo para desenvolver o trabalho sem se prender muito às questões financeiras.

Vale a pena abrir uma conta jurídica?

Em qualquer situação em nossa vida, por vezes optamos pelas situações mais práticas, mas isso não significa que escolhemos as melhores opções. Vamos explicar o porque é importante para o MEI abrir uma conta jurídica e quais as vantagens.

Sabemos que não existe nenhuma ilegalidade em efetuar transações bancárias em conta de Pessoa Física mesmo sendo um Microempreendedor individual, porém existem algumas desvantagens.

Mas quais são as vantagens?

– Elimina problemas com a Receita Federal

Mesmo o Governo não impedindo o MEI de usar uma conta-corrente Pessoa Física, a Receita Federal recomenda que as finanças pessoais e as jurídicas fiquem separadas.
Ter uma conta de Pessoa Jurídica é uma maneira de evitar cair na Malha Fina. Também é uma maneira de manter a empresa dentro das exigências da Receita, caso haja algum pedido de comprovação de pagamentos e recebimentos.

– Credibilidade em foco

Ter uma conta jurídica vai te ajudar a ter mais credibilidade perante seus clientes e seus fornecedores. Além disso, você conseguirá empréstimos e financiamentos com mais facilidade, uma vez que as linhas de crédito e análise são diferentes para quem possui CNPJ.

Mais vantagens:

  • Melhor controle das finanças da empresa;
  • Opções de crédito;
  • Facilidade na gestão do fluxo de caixa, contas a pagar e a receber.

Como é a burocracia para a abertura da conta?

Quando falamos da abertura de uma conta jurídica, é natural que logo imaginemos que se trate de algo muito distante e burocrático. Já idealizamos a entrega de inúmeros documentos, com assinaturas, comprovações e etc.
Hoje em dia existem os bancos digitais que estão aí para beneficiar, principalmente, os MEI’s, pois é possível abrir sua conta online e até mesmo pelo seu celular.
O mais interessante nesta nova modalidade bancária é que a maioria não cobra taxas e a burocracia é praticamente nula.

Como abrir um negócio com pouco dinheiro

Os brasileiros aprenderam a empreender e acabaram gostando, porém a falta de dinheiro pode se tornar um empecilho. Em tempos de crise, conseguir dinheiro para abrir seu próprio negócio tem sido cada vez mais difícil.

Abrir uma empresa com pouco dinheiro é possível e vamos mostrar, neste artigo, algumas dicas. É preciso ter muito cuidado na hora de abrir um novo empreendimento, principalmente se você não for utilizar empréstimo ou financiamentos bancários.

As chances de obter sucesso aumentam muito quando seu dinheiro é bem empregado.

– Pesquise sobre a sua ideia de negócio

Converse com pessoas de sua confiança e descubra o que elas acham do seu produto/serviço, mas lembre-se que elas podem não ser muito sinceras, justamente pela proximidade com você. Nesta situação, o ideal é pedir opinião de pessoas que não estejam envolvidas emocionalmente com o negócio.
Este passo é muito importante para que você tenha certeza de que sua ideia não é apenas uma empolgação inicial.

– Tente começar uma sociedade

Começar uma empresa sem dinheiro não é uma tarefa simples, mas você pode tentar o auxílio de um sócio. Mas lembre-se de ter muito cuidado na hora de escolhê-lo. Este sócio deve ser um parceiro nas finanças e nas ideias também.

– Faça parcerias com profissionais

É muito interessante pegar dicas com pessoas da mesma área e que já tenham experiência no modelo de negócios. Essas pessoas podem agregar valor à sua empresa, além de trazer opiniões diferentes das suas. Isso vai fazer com que você enxergue todos os lados do seu empreendimento.

– Contrate corretamente

Na hora de procurar pessoas para trabalharem para você, deixe de lado laços familiares e de amizade, ou seja, as contratações devem ser feitas apenas através de aspectos técnicos e qualidades profissionais. O melhor é que você terceirize a contratação de colaboradores, pois isso enxuga sua folha de pagamento e facilita sua vida na área administrativa de sua empresa.

– Priorize sua clientela

O cliente deve vir em posição de destaque e deve fazer parte de sua estratégia empresarial. Se sua empresa será aberta com pouco dinheiro, tenha em mente que seu cliente será seu maior patrimônio.

– Tenha um produto/serviço de qualidade

Você precisa superar as expectativas dos consumidores com relação ao seu produto e/ou serviço. Preze pela qualidade para garantir fidelidade dos seus clientes e que fique claro que pouco investimento não é sinônimo de serviço ruim.

– Propaganda e Marketing

Faça muita propaganda e aproveite as mídias sociais. Dê visibilidade à sua marca e aproveite as ferramentas gratuitas das redes sociais. Muitos empreendedores acabam perdendo vendas por não apostarem no Marketing como deveriam.

O que é e como construir um modelo de negócios para sua empresa?

Usar o Modelo de Negócios para iniciar algum projeto pode ser uma boa pedida para os novos empreendedores. Mas o que é isso?

O Modelo de Negócios é um instrumento que ajuda o empreendedor a começar bem o seu negócio. O objetivo é descrever todos os passos e elementos do seu empreendimento e usá-lo como uma espécie de cartilha. Nele deve conter: segmento, público-alvo, canais de distribuição, proposta de valor, relacionamento com clientes, recursos, parcerias e custos.

O ideal é que ele siga o modelo de blocos, dessa forma, fica mais fácil visualizar todas as funções e isso ajuda o empreendedor na hora de avaliar todas as possibilidades a serem seguidas. O maior benefício do Modelo de Negócios é a praticidade na hora de entender todos os processos. Com papel e caneta já é possível iniciar um rascunho do que deseja colocar em prática.

Mas para que funcione bem, o empreendedor precisa entender que todos os blocos desenvolvem-se entre si e estão interligados, ou seja, um depende do outro para funcionar harmonicamente.

Como fazer o Modelo de Negócios?

– Ideia de Negócios
Defina sua ideia de negócio e a coloque em um quadro para que o modelo se inicie a partir dela.

– Use lembretes
Não coloque as ideias diretamente no quadro, pois não poderá fazer ajustes. O ideal é utilizar post-its.

– Erros ocorrem e isso é normal
Erros irão acontecer em qualquer momento do projeto. Tenha em mente que você não deve desistir se isso ocorrer.

– Faça com calma
O empreendedor pode ter o tempo que quiser para preencher todos os blocos ou fazer alterações.

– Reflexões
Lembre-se que seu modelo de negócios serve com um ponto de reflexão, ou seja, constantemente você deve avaliar e pensar em mudanças caso algo não esteja funcionando.

– Teste
Use o quadro para registrar ideias e possivelmente aperfeiçoá-las. Mas antes de colocá-las em prática, lembre-se de fazer testes.

Alcançar o sucesso será mais fácil se você souber utilizar todas as ferramentas disponíveis a seu favor. O Modelo de Negócios é uma delas.

O aumento do número de empreendedores no Brasil

A economia sempre foi impulsionada pelo empreendedorismo, porém de alguns anos para cá, o número de empreendedores aumentou consideravelmente. O motivo para tamanho crescimento é a crise financeira que o país passa já há alguns anos.

Neste ponto, existem duas maneiras de empreender: aqueles que tem um planejamento e os que empreendem no susto, após perder o emprego. Tanto uma maneira quanto a outra tem seus prós e contras. Mas existe um dado que é muito preocupante: muitas empresas fecham as portas com pouco mais de um ano de existência. Isso ocorre, principalmente, por falta de planejamento.

Uma boa parte dos empreendedores são pessoas que ficam desempregadas e acabam de desesperando. Neste momento, resolvem empreender por medo de ficar sem nenhuma renda. E o que acontece? Não planejam como usar seus recursos, não tem conhecimentos suficientes para a devida administração do negócio e torna tudo uma bomba relógio.

Para que um negócio dê certo, é preciso observar, estudar, pesquisar, avaliar o nicho de mercado em que irá se inserir e elaborar um bom Plano de Negócios. Ele servirá como uma guia de todas as etapas de abertura de sua empresa. Além disso, ele não precisa ser definitivo, durante o seu “percurso” pode haver alterações que você considere importantes.

O que fazer para evitar isso?

Um dos cuidados que o empreendedor deve ter é com o entusiasmo, pois não basta apenas ter conhecimento técnico sobre seu negócio. É preciso entender um pouco sobre logística, finanças e administração no geral. Vamos a um exemplo clássico: Maria é professora e dá aula há mais de cinco anos em uma escola conceituada. Mas ela tem um hobby que é cozinhar, coisa que faz muito bem. Em um dado momento, Maria perde seu emprego e se vê sem saber o que fazer. Seus amigos a incentivam a usar seus conhecimentos culinários e sua rescisão de trabalho para abrir um restaurante. Pode dar certo? Claro! Mas o que devemos ter em mente é que não basta apenas saber cozinhar, pois a Maria terá que cuidar das entregas, do financeiro, da compra de insumos, etc.

A falta de planejamento é uma falha muito comum em muitos negócios que começam no susto. Nestes casos, o ideal é que você utilize os serviços de uma boa assessoria contábil que te ajudar com toda parte burocrática e te deixar livre para cuidar de outros pontos da sua empresa.

MEI: regularize sua situação em poucos passos

Formalizar o seu CNPJ via Portal do Empreendedor, se tornando assim um Microempreendedor Individual, é um processo simples, prático e gratuito. Pelo menos me sua abertura, o futuro MEI, não disponibilizará um centavo e passará por todo o processo de forma virtual, não precisando nem sair de casa.

Entretanto, para situar-se quando a questões monetárias e jurisprudências, é bom que você passe antes por uma consultoria contábil que irá lhe localizar dentre todos os pós e contras da abertura de um MEI, bem como a sua perspectiva do mercado dentro do seu meio de trabalho.

Assim como a abertura, toda a declaração do primeiro ano de MEI pode ser feita de forma gratuita por meio do Simples Nacional, e mesmo um contador não sendo obrigatório, como em outros modelos de empresa, é importante sempre manter uma consultoria contábil por trás para que você não venha se perder o projeto e arar com essas consequências irrisórias.

A abertura, bem como a formalização e a declaração no primeiro ano pode ser feia também gratuitamente por meio de serviços contábeis, por meio do Simples Nacional.

O MEI não precisa obrigatoriamente ter um contador, mas o indicado é que você tenha um de suporte para a apresentação de documentação e cuidado financeiro. Antes de definir uma contabilidade para cuidar do seu CNPJ, busque algumas consultoria contábeis e veja se essas contabilidades podem ajudar em seu processo.

Primeiro passo:

Através do Portal do Empreendedor você pode pesquisar e tirar todas as suas dúvidas em relação ao processo de formalização do Microempreendedor Individual. Nessa pesquisa, observe quais são as atividades que são permitidas desempenhar como MEI, tão com se no seu Município, Estado ou Região há alguma prescrição local, o que é comum no que se diz a respeito do MEI. É bom você também realizar uma consultoria contábil para ficar por dentro da realidade financeira, já que você, quando Microempreendedor Individual, tem um teto de gasto em 60 mil reais, por isso terá que deixar a sua empresa nesse padrão patrimonial.

Segundo passo:

Basta entrar no Portal do Empreendedor, através do site, portaldoempreendedor.me. É nesse site que você deverá preencher o seu formulário de cadastro, de forma simples e rápida, que durará poucos minutos. Se ainda assim haja alguma dificuldade nesse processo, você pode ligar para o contato gratuito do SEBRAE, o telefone é: 0800-570-0800.

Formalizar-se vai te ajudar a conquistar benefícios que auxiliarão sua empreitada rumo ao sucesso.