Perca o medo de pedir ajuda!

Por mais difícil que isso venha a ser, pedir ajuda faz parte da nossa caminhada

Colocar em prática o sonho do negócio próprio, um desafio difícil que pode ficar ainda mais se você encarar sozinho.

Por mais que, a princípio, você já seja desencorajado naturalmente dentro da percepção das pessoas estar em seu redor, saiba que o CLT não é a única opção de vida profissional, principalmente nos dias atuais. Enquanto os seus amigos e família não possuem o costume de umas segunda opção (o que é natural) você precisa partir pra cima das dificuldades se quiser fazer do sonho do empreendimento próprio uma realidade.

E não quer dizer que o habitual de quem está ao seu redor é diferente da sua idealização profissional que você não poderá contar com essas pessoas. A diferença é a perspectiva de cada um. Enquanto você acredita que consegue ser bem-sucedido profissionalmente abrindo uma empresa na qual aposta, algumas outras pessoas podem possuir objetivos de chegar até determinado lugar na empresa que trabalha ou chegar em uma outra determinada empresa através do seu empenho profissional, o que em nenhum caso é errado, pois sucesso profissional nada atem a ver apenas com financeiro, mas também tem a ver com estar fazendo aquilo que o conforta no mercado de trabalho, num posicionamento financeiro que, clarividente, conseguirá sustentar o seu padrão de vida.

Então, saiba, independentemente de realidades diferentes e de perspectivas distintas, agarrar esse processo de inicialização da empresa sozinho é uma espécie de suicídio, sendo que você pode pedir ajuda. Entretanto, é importante que você seja estratégico em seus pedidos de ajuda, para que o auxílio venha a ser efetivo e determinante na sua empresa.

Acompanhe, então, neste artigo, dicas que para que você perca medo de pedir ajuda.

A IMPORTÂNCIA EM PEDIR AJUDA

Quando você começa a tocar uma empresa, os resultados demoram para aparecer. Isso porque houve um investimento inicial, logo uma saída fora do normal, que precisa ser reparada na medida do tempo com as entradas.

Para que essas entradas venham a aparecer mais rapidamente, o empreendedor não pode trabalhar sozinho. Mas sem dinheiro terá que recorrer a um recurso que lhe demandará coragem: pedir ajuda.

Toda atividade é mais eficiente (rápida e competente) se produzida por uma equipe e ao pedir ajuda você contribui para que, por meio do trabalho em equipe, você busque o retorno o mais rápido possível

Toda ajuda especializada é bem-vinda, seja em forma de consultoria, conselho, teoria ou até mesmo com uma força colocando a mão na obra.

VENÇA O MEDO

Para que você quebre todas as barreiras quanto aos pedidos de ajuda, é importante você ter noção de determinadas realidades como:

  1. Você ouvirá nãos

Outra expressão que já se tornou recorrente é a que diz: “O máximo que você pode escutar é um não”, e temos que concordar mais uma vez com tal máxima, pois se você sabe que o não já terás, o que custa tentar se surpreender. Afinal, a vida é uma caixinha de surpresas, já diria a sabedoria popular.

E mais, mesmo quando você não consegue reverter o não em sim, são exatamente esses nãos que lhe deixaram calejados para tentar incessantemente buscar os sins do difícil mercado empreendedor.

  1. Mapeie competências

Coloque no papel tudo o que o seu negócio vai precisar e saiba quem, dentro de determinadas consequências, pode te ajudar.

Primeiramente, veja o que você mesmo pode fazer, mas nunca se ache bom em tudo, pois quem tudo acha que sabe na realidade não sabe de nada. Invista exatamente nas competências que você possui a certeza de desenvolver.

A partir do momento em que você mapeou as suas competências pessoais, parta para a busca de pessoas que podem te ajudar com as demais competências.

  1. Busque inspirações

Leia constantemente biografias de grandes empreendedores e procure absorver ensinamentos dos seus inícios no mundo do empreendimento.

Veja que, senão todos, a grande maioria teve que pedir ajuda no inicio e o quão bom isso fez para que dessem passos para o sucesso que possuem hoje.

A importância da contabilidade gerencial no gerenciamento de empresas

Conheça a importância da contabilidade gerencial na hora de tocar a sua empresa

Grandes são os desafios do gerenciamento de uma empresa, e um desses desafios se refere a parte de contabilidade financeira. Alguns empresários acham que podem tirar de letra esse quesito, que são competentes o bastante para cuidar de todos os aspectos que cercam as finanças do seu negócio, mas se enganam redondamente. Dessas vezes, algumas é por pura presunção, em outras não passam de falta de conhecimento e por fim são empresários que possuem certa restrição com outras pessoas tendo autonomia financeira para com o seu negócio. Em todos esses aspectos, você deverá mostrar, com seriedade e competência, que a contabilidade financeira nada mais é que um grande aliado ao empreendimento em questão. Você precisará entender que a contabilidade financeira joga junto, é uma parceira, aliada.

Sendo assim, saiba que ao firmar parceria com uma contabilidade financeira, terá uma preocupação bem grande a menos e ao mesmo tempo poderá alavancar a renda dos seus negócios após estudos estratégicos feito pelos profissionais da empresa, onde desenvolverão projetos de posicionamento financeiro, para que a sua empresa venha a investir melhor, gastar menos em cargas tributárias e não venha a gastar o dinheiro conseguido a torto e a direito.

Para isso, é importante que o empresário não poupe esforços para buscar a contabilidade financeira mais competente e que lhe passe a maior confiança.

  • O que a contabilidade financeira faz

Muitas são as funções que a contabilidade financeira pode contemplar dentro do gerenciamento empresarial, e essas funções vão além do cerne da questão, mas passam pelo estudo de mercado a ser promovido pelo setor contábil, que além de fazer com que a empresa retenha gastos pode projetar lucros maiores para o empreendimento em questão.

Um bom serviço contábil otimiza a vida do patrão e dos funcionários, gerando um enxugamento de receita em diversos aspectos e uma dinamização do trabalho em si. A contabilidade financeira, por sinal, utiliza métodos não financeiros, como o Valor Agregado de Mercado e o Valor Econômico Agregado.

Por tudo isso, é de fundamental importância que a empresa que procure uma contabilidade financeira busque uma que se afeiçoe com a sua forma de trabalho, inclusive em seus diferenciais. Por isso, não poupe em pesquisar e perguntar.

  • Competências que a contabilidade financeira precisa ter

O conhecimento de um profissional focado no setor contábil vão além das questões financeiras e econômicas, por mais que esses sãos os fatores preponderantes a se tratar numa contabilidade. Ter conhecimento jurídico é fundamental, também, para lidar com resoluções e processos jurídicos.

Mas esse nível de conhecimento deve ir ainda mais além, já que diversos fatore socioeconômicos contribuem com o sistema financeiro de um país ou até do Planeta como um todo, o que automaticamente respinga na sua empresa.

Fora, ter uma linguagem formal oral e escrita e conhecimento bilíngue.

Essas variáveis precisam ser bem empregada para a sua equipe, que precisa sempre trabalhar em grupo de forma competente para um bom andamento do serviço. Este hoje traduzido em processos virtuais que precisam ser bem compreendidos pelos profissionais do departamento, para otimização de tempo e atividades.

Essas competências são partes fundamentais e parte um grande diferencial na hora de observar e valorizar a empresa que cuidará do setor contábil da sua.

Investimento inicial: quanto poupar para dar um start em sua empresa em São Paulo

Saiba o quanto você vai precisar economizar para por em prática o seu próprio negócio em São Paulo

Muitos estresses no momento de abertura da empresa em São Paulo podem ser evitados se o investimento inicial for calculado de forma correta, para isso é fundamental ter um bom planejamento financeiro, para tirar as ideias do papel e colocá-las em prática dentro dos padrões financeiros da empresa em seu movimento inicial. Esse planejamento focará em estudo de mercado, área, segmentação e necessidades vigentes da empresa e podem ser em muitos aspectos auxiliados por um bom setor contábil, que auxiliará na regularização do seu CNPJ, das estratégias de investimento inicial, além de capital de giro, foco gerencial etc.

Vamos, então, aos pontos necessários para que você poupe o suficiente para iniciar uma empresa de forma confortável, além de saber aonde vai investir este capital inicial.

  • Break Even

Primeiramente, o empresário precisa ter noção de que é o break even, antes mesmo do exemplo prático.
Inicialmente é claro que toda a abertura de negócio gerará custos elevados e que o lucro não surgirá do dia pra noite, mas o empreendedor pode ter uma perspectiva de quando sairá do zero ou até do negativo e começará o seu processo de ganho, e é para isso que serve o break even, uma análise muito próxima do real para saber quando a empresa começará a lucrar.

Vamos para um exemplo prático: a empresa X, em seu primeiro mês de trabalho, possui um determinado valor de custos fixos, aqueles que certamente sempre a empresa terá, como aluguel, custo com fornecedores etc. Mas além desses custos fixos, a empresa também possui custos que varia de acordo com o mês ou com um período específico, como manutenção de equipamentos, compra de um material específico necessário etc. A soma do custo fixo e do custo variável dará o custo total da empresa naquele mês.

Mas nem só de prejuízo vive a empresa, que fornecerá determinado produto ou serviço e para isso terá que estipular um preço – que é baseado nos custos e no lucro, mas vamos analisar tudo isso de forma mais geral e ampla. A multiplicação do preço no qual foi vendido e do número de vendas dará o valor total da receita daquela empresa, logo, o que entrou.

Se com os cálculos acima sabemos o que entrou e o que saiu da empresa em um determinado mês, resta saber o valor final desse lucro, que cabe subtrair o custo total da receita total.

Quanto mais realistas foram os números fornecidos pela empresa e levantados pelo setor contábil, mais próximo da realidade vai ficar o break even e melhor o empresário saberá o momento em que a sua empresa em São Paulo começará a lucrar.

  • Financeiro

É disso que viemos falar, pois todo investimento inicial é financeiro, correto? Não. Muitas questões burocráticas podem embargar o seu empreendimento em São Paulo, mas todos esses processo passam imprescindivelmente pelo financeiro. As empresas contábeis possuem totais domínios quanto essas questões burocráticas e fazem totalmente o planejamento financeiro neste processo.

1. Infraestrutura

Tudo bem que você já tem todo o entendimento quanto a seu espaço físico, aonde ficará, custos etc. Mas você precisará preencher esse espaço com mecanismos que façam que a sua empresa flua o trabalho. Maquinários, composições administrativas etc.  Se a sua empresa for home office, a estrutura do seu eminente de trabalho bem como a produção e entrega do seu produto/serviço, como um serviço de banda larga, impressora, correios, transportadora etc.

2. Formalização da empresa

A tal da parte chata que um bom setor contábil faz com que meio caminho seja andado. Uma boa empresa de contabilidade vai diminuir muitos os seus cabelos brancos. Seu investimento inicial deve contar com o pagamento de vários desses embargos e impostos, mas a contabilidade lhe enquadrará num perfil de empresa onde enquadre a sua perspectiva de ganho bem como a sua realidade financeira para que pague o mínimo possível de impostos.

Vários são os moldes a qual o seu CNPJ pode ser atribuído (MEI, ME, LTDA…), mas todos eles, independentemente da praticidade de abertura e do valor arrecado e tributado possuem etapas de abertura e o capital social para que o empreendimento venha a ser inicializado. Além de processo de contrato social (com a obrigatória formalização de um advogado, a inscrição junto a Junta Comercial da sua região e caso a empresa tenha sede fixa precisará de um laudo sanitária e de segurança. Todos essas regularização custam em torno de 1000 reais.

3. Mãos à obra

Aós a regularização do seu negócio, é importante que você passe a por as mãos à obra, afinal, foi pra isso que você passou por todas as partes chatas. Para isso, é importante ter o capital de giro, um resguardo financeiro de pelo menos 5% do investimento financeiro para eventualidades.

Nesse momento, uma análise de mercado se faz importante, também, o que pode ser feito pelo setor contábil que estipulará, vendo a concorrência e também os fornecedores e parceiros para se ter ideia da margem de lucro. A prática do benchmarking é justamente é a análise de tudo o que cerca o empreendimento para fazer tais prognósticos.

Ratificamos que ter um bom escritório de contabilidade por trás desse processo é fundamental e evita estresses desnecessários, mas isso não extingue que o empreendedor esteja sempre a par do fluxo de caixa. Setor contábil e empresário precisam caminhar juntos até para elaborarem estratégias jutas para superar adversidades financeiras e criarem projetos de expansão para que o negócio flua e a empresa lucre cada vez mais. No começo da empresa em São Paulo, ter essas noções, pela entrada ser menor que saída, é difícil, por isso o benchmarking e o break ever são importantes para e ter noção de prazo para lucro e deadlines.

4. Plano de Marketing

Você abriu a empresa, formalizou e iniciou o trabalho, mas o seu público-alvo, já definido pelo plano de marca e encontrado através da análise de marcado, precisa ter conhecimento que eles está no mercado. E agora? Plano de marketing, bem feito e que com a ascensão do virtual passou a não ser tão caro e muito mais eficaz por meio dos sítios virtuais. O marketing é um andar estrutural da empresa em São Paulo.

Imposto de renda pessoa jurídica (IRPJ)

Conheça os modelos de tributação, além de saber como e quando é feito o IRPJ em São Paulo

As empresas são pré-determinadas a transparecer toda a sua movimentação financeira para o Estado através do Imposto de Renda para pessoas jurídicas, o IRPJ. Pessoas Jurídicas caracterizam-se como empresas, organizações, entidades, de modo geral, levantadas para um determinada finalidade específica.

Tais instituições terá de pagar um certo imposto que é específico do seu cadastro jurídico, o que independe se as empresas são, ou não, registradas neste cadastro.

As empresas que se enquadram no pagamento do IRPJ em São Paulo, variam de empresas que já esteja com o seu estado de falência aberto, a estatais, passando por negócios rurais e sociedades mistas.

  • Questões de cálculo

Depende do tipo da empresa e seu molde tributário. Essa variação vem devido o IRPJ e é cobrado uma alíquota de 15% em relação ao ganho total anual da empresa.

Porém, quando uma empresa em São Paulo se funde, essa alíquota de 15% se mantém e é adicionada mais 10% em cima, logo, terá de ser pago 25%. Para isso, o valor de lucro total não pode ser maior do que o da parcela chegando a um número monetário superior a R$20.000,00.

Saiba como abrir firma em São Paulo

Para abrir firma em São Paulo com muita facilidade siga os passos a seguir

Os proprietários de empresas no Brasil iniciam seus grandes projetos a partir de grandes ideias e com isso passam a abrir a sua empresa em São Paulo. Quando se existe um caixa, uma reserva financeira para que esse projeto seja concretizado, é algo muito relevante.

Por isso, para quem se interessa fazer um investimento nessa ideia, fazendo com que ela saia do papel e se concretize, é importante que se pense em todos os fatores preponderantes para a abertura da firma em São Paulo.

O empreendedor precisa ter pleno entendimento dos pós e contras na abertura da firma em São Paulo que dependendo do segmentos a ser trabalhado terá determinados pós e contras, como o contingente de prospectos ou da carência de mercado.

É por isso que sempre é necessário um bom planejamento para que se possa, como competência, abrir a firma em São Paulo. Isso, pois um bom planejamento não gerará sustos no decorrer da empresa.

Para abrir firma em São Paulo você precisa, também, estar preparado para encarar questões burocráticas centrais para poder regulamentar a sua empresa de forma cabível e correta dentro das questões legais do Brasil. A emissão de documentos e o enquadramento em questões legais, não é só uma obrigação, como credibiliza a gestão empresarial da sua empresa.

Confira, então, as dicas que temos  para dar para você quer quer abrir uma firma em São Paulo.

  • Registro e documentação

Quando você souber o  tipo empresarial que você vai trabalhar (MEI, ME ou LTDA), você terá que constituir a gestão da sua empresa. Esse planejamento passa totalmente pela burocracia, a parte mais chata na abertura da firma em São Paulo.

A parte de burocracia, temos que ser realistas, é um processo cansativo e você não irá conseguir se livrar totalmente dele, Porém, você poderá minimizar esse processo, se você buscar informações dos documentos que precisará, como antecedência, e assim fazer uma preparação prévia e, quando tiver tais documentos em mãos e devidamente organizados, procurar um escritório de contabilidade e de advocacia para ter uma consultoria e tirar todas as dúvidas;

 Esse processo é importante, pois terá que ser redigido um contrato social para a abertura da firma em São Paulo. E esse contrato social precisa ser rico em detalhes para que futuramente o empresário não venha sofrer com omissões de informações que venham ser importante a ser registradas em tal contrato.

O que pode ser antecipado, neste caso, é a separação de documentos fortuitos como: RG, CPF, IPTU da empresa com cópia  autenticada de todas as pessoas e sócios, além de todos os laudos previamente solicitados.

Todas as partes entrado em acordo, é essencial que o contrato seja apresentado na junta comercial e no cartório de pessoa jurídica.

Serviços de contabilidade em São Paulo

Neste artigo, vamos mostrar serviços de contabilidade que você pode oferecer em São Paulo

Nos dias atuais, toda contabilidade precisa se destacar em determinado aspecto em relação aos seus concorrentes. Entretanto, muitos empresários do setor contábil está sofrendo com essa atualização do mercado, pois não sabe que estratégia promover para inovar.

Falta de tempo, falta de planejamento e medo, são os principais empecilhos quando falamos em inovação. Mas, para driblar esses atrasos, temos inúmeras possibilidades de se agregar valor a sua contabilidade, inovando ao oferecer serviços de contabilidade em São Paulo.Serviço de controle patrimonial 

Talvez a grande oportunidade de serviço de contabilidade em São Paulo seja o ativo imobilizado das empresas. Muitos acham que o controle patrimonial é apenas quando o empresário faz o envio das notas fiscais quando compram um imobilizado, para depreciação, Contudo, esse tipo de serviço de contabilidade vai além e poucas empresas fornece, em São Paulo.

Incluindo a recuperação de tributos, além de definir uma política de controle e baixa de imobilizados, economizando o tempo do cliente.

Serviço de emissão de documentos

No caso, para a participação de licitações, a empresa precisa enviar uma lista específica para realmente concorrer. Isso demanda um tempo preciso ao empresário, mas pode ser um serviço de contabilidade oferecido para sua empresa.

Nessa caso, as Certidões de Regularidade são as mais trabalhosas, o que cabe a empresa de contabilidade saber se irá emitir apenas as certificações ou toda a documentação.

Serviço de planejamento tributário

Para que a empresa esteja dentro do seu regime tributário, precisa todos os anos fazer um planejamento. Isso é feito de forma obrigatório para que seja estimado o valor tributário a ser pago.

Esse é o tipo de serviço de contabilidade que é um verdeiro diferencial, pois dificilmente as empresas realizam esse planejamento, logo, realizar esse serviço de contabilidade pode aumentar o ganho mensal da sua empresa, pois agregará um valor diferencial.