O aumento do número de empreendedores no Brasil

A economia sempre foi impulsionada pelo empreendedorismo, porém de alguns anos para cá, o número de empreendedores aumentou consideravelmente. O motivo para tamanho crescimento é a crise financeira que o país passa já há alguns anos.

Neste ponto, existem duas maneiras de empreender: aqueles que tem um planejamento e os que empreendem no susto, após perder o emprego. Tanto uma maneira quanto a outra tem seus prós e contras. Mas existe um dado que é muito preocupante: muitas empresas fecham as portas com pouco mais de um ano de existência. Isso ocorre, principalmente, por falta de planejamento.

Uma boa parte dos empreendedores são pessoas que ficam desempregadas e acabam de desesperando. Neste momento, resolvem empreender por medo de ficar sem nenhuma renda. E o que acontece? Não planejam como usar seus recursos, não tem conhecimentos suficientes para a devida administração do negócio e torna tudo uma bomba relógio.

Para que um negócio dê certo, é preciso observar, estudar, pesquisar, avaliar o nicho de mercado em que irá se inserir e elaborar um bom Plano de Negócios. Ele servirá como uma guia de todas as etapas de abertura de sua empresa. Além disso, ele não precisa ser definitivo, durante o seu “percurso” pode haver alterações que você considere importantes.

O que fazer para evitar isso?

Um dos cuidados que o empreendedor deve ter é com o entusiasmo, pois não basta apenas ter conhecimento técnico sobre seu negócio. É preciso entender um pouco sobre logística, finanças e administração no geral. Vamos a um exemplo clássico: Maria é professora e dá aula há mais de cinco anos em uma escola conceituada. Mas ela tem um hobby que é cozinhar, coisa que faz muito bem. Em um dado momento, Maria perde seu emprego e se vê sem saber o que fazer. Seus amigos a incentivam a usar seus conhecimentos culinários e sua rescisão de trabalho para abrir um restaurante. Pode dar certo? Claro! Mas o que devemos ter em mente é que não basta apenas saber cozinhar, pois a Maria terá que cuidar das entregas, do financeiro, da compra de insumos, etc.

A falta de planejamento é uma falha muito comum em muitos negócios que começam no susto. Nestes casos, o ideal é que você utilize os serviços de uma boa assessoria contábil que te ajudar com toda parte burocrática e te deixar livre para cuidar de outros pontos da sua empresa.

MEI: regularize sua situação em poucos passos

Formalizar o seu CNPJ via Portal do Empreendedor, se tornando assim um Microempreendedor Individual, é um processo simples, prático e gratuito. Pelo menos me sua abertura, o futuro MEI, não disponibilizará um centavo e passará por todo o processo de forma virtual, não precisando nem sair de casa.

Entretanto, para situar-se quando a questões monetárias e jurisprudências, é bom que você passe antes por uma consultoria contábil que irá lhe localizar dentre todos os pós e contras da abertura de um MEI, bem como a sua perspectiva do mercado dentro do seu meio de trabalho.

Assim como a abertura, toda a declaração do primeiro ano de MEI pode ser feita de forma gratuita por meio do Simples Nacional, e mesmo um contador não sendo obrigatório, como em outros modelos de empresa, é importante sempre manter uma consultoria contábil por trás para que você não venha se perder o projeto e arar com essas consequências irrisórias.

A abertura, bem como a formalização e a declaração no primeiro ano pode ser feia também gratuitamente por meio de serviços contábeis, por meio do Simples Nacional.

O MEI não precisa obrigatoriamente ter um contador, mas o indicado é que você tenha um de suporte para a apresentação de documentação e cuidado financeiro. Antes de definir uma contabilidade para cuidar do seu CNPJ, busque algumas consultoria contábeis e veja se essas contabilidades podem ajudar em seu processo.

Primeiro passo:

Através do Portal do Empreendedor você pode pesquisar e tirar todas as suas dúvidas em relação ao processo de formalização do Microempreendedor Individual. Nessa pesquisa, observe quais são as atividades que são permitidas desempenhar como MEI, tão com se no seu Município, Estado ou Região há alguma prescrição local, o que é comum no que se diz a respeito do MEI. É bom você também realizar uma consultoria contábil para ficar por dentro da realidade financeira, já que você, quando Microempreendedor Individual, tem um teto de gasto em 60 mil reais, por isso terá que deixar a sua empresa nesse padrão patrimonial.

Segundo passo:

Basta entrar no Portal do Empreendedor, através do site, portaldoempreendedor.me. É nesse site que você deverá preencher o seu formulário de cadastro, de forma simples e rápida, que durará poucos minutos. Se ainda assim haja alguma dificuldade nesse processo, você pode ligar para o contato gratuito do SEBRAE, o telefone é: 0800-570-0800.

Formalizar-se vai te ajudar a conquistar benefícios que auxiliarão sua empreitada rumo ao sucesso.

Como abrir uma empresa de alimentação delivery

Até mesmo em tempos de crise, o ramo da alimentação continua em alta no Brasil. Hoje em dia, as comidas saudáveis tem chamado ainda mais a atenção tanto daqueles que querem se alimentar melhor quando dos que querem empreender neste ramo.

O mercado está aquecido, pois cada dia mais as pessoas tem sentido a necessidade de melhorar sua saúde através da sua alimentação. Por isso, se você se interessou por este mercado e quer empreender, aconselhamos que acompanhe nosso artigo:

Investimento

Um dos pontos altos desta área é o investimento relativamente baixo. O maior gasto inicial é com os insumos e as embalagens. Mas atente-se em ter boas panelas e um fogão com qualidade para iniciar o seu negócio sem correr risco de deixar seus clientes na mão.

Plano de Negócios

Mesmo que você já tenha um negócio no ramo da alimentação, o ideal é que você crie um plano de negócios que tenha os detalhes e conceitos do seu projeto. Ele vai servir como um guia para os seus próximos passos.

Invista na venda de pacotes e planos

Muitas pessoas que passam a se alimentar de maneira saudável, resolvem transformar isso em um novo estilo de vida. As chances de agradar seus clientes aumentam muito, quando você cria pacotes semanais ou mensais e oferece descontos para quem fechar com você. Isso atrai novos clientes.

Tenha uma estrutura adequada

Caso você vá abrir um restaurante, preocupe-se com a higiene e também em ter um espaço amplo e arejado para atender seus clientes. Lembre-se que a cozinha deve ser organizada e muito limpa.

Se você trabalhará apenas com delivery, sua maios preocupação será com os materiais de trabalho e com a entrega.

Procure conhecimento

Para a criação dos cardápios, você precisa entender quais alimentos podem ou não ser congelados e a maneira correta de preparar cada um deles. Fazendo isso de maneira equivocada, você pode perder o sabor do alimento além de perder matéria-prima e acabar ficando no prejuízo.

Além do conhecimento técnico, é interessante também, que você entenda um pouco de finanças. A administração da sua empresa deve funcionar de maneira correta e em parceria com os outros setores.

Regularizar-se como MEI é uma ótima oportunidade para o micro empresário iniciar sua vida no mundo dos negócios.

Os dez anos de MEI e a inadimplência

O programa do microempreendedor individual (MEI) completou dez anos em julho e tem ajudado milhões de brasileiros a se formalizarem e assim conquistarem independência financeira.
Hoje em dia são cerca de 8,6 milhões de pequenos empresários cadastrados, mas infelizmente uma grande parcela destes estão inadimplentes. Quando isso ocorre, o microempreendedor acaba perdendo muitos dos direitos conquistados com a formalização.
Segundo uma pesquisa feita em maio deste ano, cerca de 54% dos MEI’s estão com atraso no pagamento da taxa (DAS).Mas o que acontece com os inadimplentes?

O primeiro passo é perder os benefícios que são:

  • Salário-maternidade (a partir de 10 meses de contribuição);
  • Aposentadoria por invalidez e auxílio-doença (após 12 meses de contribuição);
  • Auxílio-reclusão;
  • Pensão por morte para seus dependentes.

Além disto, o período sem pagamento não será contabilizado como tempo de contribuição para a aposentadoria.Formalização

A formalização é importante  para os pequenos negócios e também para os trabalhadores autônomos como vendedores, doceiros, manicures, cabeleireiros, eletricistas, entre outros e tudo isso a baixo custo. Negócios que faturam até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e têm no máximo um funcionário podem aderir ao MEI. Além de tudo isso, o empreendedor poderá emitir  notas fiscais, alugar máquinas de cartão e terá acesso a empréstimos que devem ser utilizados em seu negócio.
Para saber se seu negócio se enquadra no MEI, basta acessar o Portal do Empreendedor e verificar se sua empresa está dentre as 500 atividades listadas.

Inadimplência

Para reduzir a inadimplência, o governo tem tentado facilitar ao máximo o pagamento das guias. O empreendedor consegue pagar online e a iniciativa foi desenvolvida para conscientizar os trabalhadores.

Valores

Hoje, o custo mensal do registro é de R$ 49,90, que pode ser acrescido de R$ 1 se o ramo exercido for comércio ou indústria (ICMS), ou de R$ 5, em ISS, se for do ramo de serviços – dá um total de R$ 54,90. Caso sua empresa envolva as três atividades (comércio, indústria e serviços), o valor mensal vai para R$ 55,90.

O plano de negócios é a chave pra sua empresa

Empreender tem sido cada vez mais comum em nosso país e isso se deve aos momentos de crise que o Brasil e o mundo tem passado. Cada vez mais, as pessoas buscam criar seu próprio negócio como uma maneira de escapar dessa maré ruim.
O que devemos lembrar é que não basta apenas a vontade de ser dono do seu próprio negócio, é necessário também muito planejamento.
Infelizmente, muitas empresas fecham as portas antes mesmo de completar um ano de existência e isso acontece porque na ânsia de empreender muitos acabam cometendo erros pelo caminho.Muitos se preguntam o que fazer para evitar a falência precoce e o que podemos adiantar é que o primeiro passo é a criação de um Plano de Negócios. Mas o que é isso?
O Plano de Negócios é um documento onde consta os seus objetivos com o negócio e quais passos devem ser seguidos para alcançá-los.
Com o documento em mãos, o empreendedor vai ter uma visão mais ampla do mercado escolhido e obter mais detalhes sobre o setor. Além disso, vai ter uma ideia do quanto é viável a abertura de sua empresa no ramo escolhido.Como criar o Plano de Negócios

* Defina quais tipos de serviços e/ou produtos serão oferecidos, qual o público-alvo e quanto tempo será necessário para obter de volta o dinheiro investido.

* Escolha o enquadramento tributário e o capital social para inicio do negócio. Não esqueça de acrescentar um investimento para o marketing que será de total importância para captação de clientes.

*Faça uma boa análise financeira onde deve ser computado todos os gastos e investimentos fixos e variáveis. Procure estimar capital de giro e faturamento mensal da empresa. Nestes investimentos devem estar inclusos os custos de materiais e matérias-primas.

*Faça simulações de valores com relação as vendas, que devem ser pessimistas e otimistas. É uma maneira de tentar de precaver no caso de uma situação desfavorável e já pensar em ações que solucionem os problemas.

Mesmo após a abertura da empresa, o empreendedor deve sempre manter o planejamento durante sua gestão. O ideal é que, periodicamente, revise o Plano de Negócios para ter uma visão de como anda a saúde financeira do negócio. Essa é uma maneira de evitar transtornos e garantir uma administração sem sustos.

Como ter sucesso abrindo uma empresa no setor de alimentação

Empreender no ramo alimentício é uma boa saída para quem quer abrir seu próprio negócio. Alcançar o sucesso nessa área é o sonho de muita gente e para conseguir isso é preciso muito mais do que simplesmente abrir o negócio. É necessário que o empreendedor tenha visão de ações estratégicas como entendimento financeiro e de marketing, por exemplo.

Se você possui algum interesse nesta área, nós lhe aconselhamos a continuar acompanhando nosso artigo, pois daremos algumas dicas que vão te ajudar. Acompanhe:

Existem algumas áreas específicas no ramo alimentício, que vão além de restaurantes de comida caseira ou barracas de pasteis, como vemos muito em muitos lugares. Existem empreendimentos de alimentação que sempre estarão em alta devido ao apelo popular, mas serviços que apostam num ramo específico e tem tido muito sucesso atualmente. Vamos especificar alguns, a seguir.

Não importa o que aconteça, as comidas prontas sempre estarão presentes no mercado alimentício , devido a nossa tradição do “arroz e feijão”. Entretanto, o empreendedor no ramo de restaurantes precisa ter muita atenção quanto o tipo de público que diverge entre o estabelecimento entre segunda a sexta e sábado e domingo. Nos dias letivos, trabalhadores em seu horário de almoço são muito frequentes e restaurantes procurando um lugar com alimento de qualidade e preço acessível. Já nos finais de semana, turistas e até mesmos munícipes à procura de uma opção mais requintada para um momento de lazer, tendem a querer algo diferente, mesmo que pague mais caro.

Existem vários gêneros diferentes de restaurantes.

Restaurantes à Quilo

Quem frequenta os restaurantes selfies services, precisam ter uma boa variedade misturas e complementos. Devem ficar livre para que o cliente consuma o que e quanto desejar. Por outro lado, ele pagará mediante ao seu consumo.

Geralmente, a comida é feita no dia, mas em grande quantidade, por isso, por mais que o preparo seja fresco é usado de forma relevante alimentos industrializados.

PFs

Os pratos feitos são consumidos com a comida já inserida e com preço afixado. Fica do encargo do restaurante criar opções de valores adicionais por adição de alimento ou aos chamados “repetecos”. Combo com bebidas também é uma boa opção.

Muitas pessoas optam pelos PFs devido ao seu preparo, caseiro. Para isso, o destaque para um tempero especial ou um segredo de quem prepara para instigar o valor ao sabor da comida faz com que gere apelo emocional ao cliente que é remetido ao sabor da infância, da comida da avó e de boas lembranças, por exemplo.

Quentinhas

Também são chamadas em diversos lugares de marmita.  Nesse tipo de negócio, tão importante do que o preparo e a qualidade do alimento é a praticidade e a rapidez na entrega ao cliente.

Muitas opções de cardápio não é o ideal pra esse ramo, a agilidade entre a escolha do alimento pelo cliente, o seu preparo e entrega é fundamental para a fidelização.

Um sistema de entrega eficiente é outro ponto fundamental do negócio.

Fast Foods

Quem frequenta esse tipo de local, não se preocupa muito com a questão calórica dos alimentos, mas sim, com a praticidade e com o sabor. Por isso, hamburguerias, pastelarias e vendas de cachorro quente são os produtos mais encontrados nesse tipo de empreendimento.

Ultimamente, a produção artesanal tem crescido muito nesse meio, principalmente nas hamburguerias.

Os combos são os grandes filões de venda nesse serviço onde além do lanche, por exemplo, o cliente pode consumir refrigerante e batata-frita num valo único ou por um adicional raso.

Produtos Naturais e Saudáveis

Diferentemente dos fast foods, quem frequenta esse tipo de estabelecimento alimentício, se preocupa com a saúde.

Pode-se, nesse caso, variar em produtos naturais como saladas, sanduíches, comidas integrais e diets, e os produtos de suplementação para a galera que na maioria dos casos praticam academia e querem ganhar massa muscular, consumindo em meio aos seus produtos valores nutritivos como proteínas e carboidratos.

Para finalizar, o ideal é que você cuide bem da logística e principalmente da questão financeira do seu empreendimento.